CICLONE DEIXA FAMÍLIAS ILHADAS, DERRUBA PONTE E PROVOCA DESLIZAMENTOS NO SUL DO ESTADO

Uma residência chegou a ser atingida na noite dessa terça-feira (9) por deslizamento de pedras, em Tubarão

A chuva intensa e volumosa causada pelo ciclone extratropical que passa por Santa Catarina causa estragos na região Sul do Estado desde a noite dessa terça-feira (9). Diversas ocorrências relacionadas à chuva e ao vento são atendidas, no momento, pelo Corpo de Bombeiros e Defesa Civil.

Em Criciúma, por exemplo, 30 famílias foram retiradas de suas residências. Cerca de 15 delas se deslocaram para casa de amigos e familiares. O restante, conforme a prefeitura, está em abrigos organizados no Ginásio Municipal Irmão Walmir Orsi, no bairro São Luiz, e no Salão Paroquial do Sangão.

O município também registra diversos pontos de alagamento. Os locais mais críticos são os bairros Sangão, Imperatriz, Vila Macarini, Vila Francesa, Vila Isabel e Cristo Redentor, onde houve extravasamento da calha do rio.

A Rodovia João Cirimbelli e todos os acessos ao bairro Sangão também estão interditados. Na rede municipal de Educação, foram suspensas as aulas na escola Judite Duarte de Oliveira, no bairro Sangão, na Maria de Lourdes Carneiro, no bairro Vila Francesa, e na Antonio Minotto, no bairro São Roque.

Forquilhinha
A situação também é critica em Forquilhinha. Moradores do bairro Cidade Alta estão ilhados, devido ao extravasamento do Rio Sangão. Segundo a prefeitura, algumas famílias já foram retiradas de suas residências e encaminhadas para a casa de parentes.

Também há registros de ruas alagadas nos bairros Vila Franca e Ouro Negro e em comunidades do interior do município. Durante a madrugada, no bairro Santa Libera, uma mulher tentou fazer a travessia e o veículo ficou submerso. Ela foi resgatada pelas equipes de plantão.

As unidades básicas de saúde de Vila Franca e Cidade Alta cancelaram as atividades, assim como, o CEI Sonho Mágico e a escola José Aléssio, ambas localizadas na Cidade Alta. O transporte público na cidade também apresenta mudanças de rotas e horários.

Morro da Fumaça
Três famílias ficaram desabrigadas nessa quarta-feira (10), em Morro da Fumaça. Elas foram retiradas de suas residências e encaminhadas para o Centro de Múltiplo Uso, no bairro Esperança.

Segundo a Defesa Civil Municipal, os pontos mais críticos na cidade estão localizados nos bairros Capelinha, Linha Frasson, Picadão Paladini e Naspolini.

“Nesse momento, o nível do rio Urussanga cresceu de maneira significativa, gerando transtornos na SC-443 (Rodovia Gregório Espíndola), onde se formou uma lâmina d’água de 10 a 15 centímetros por mais de um quilômetro”, informou Natan de Souza, coordenador da Defesa Civil. Outra estrada intransitável é a Rodovia Tranquilo Sartor, entre os bairros Linha Torrens e Linha Cabral.

No distrito de Estação Cocal, nas margens da rua Biázio Maragno, outras famílias também foram removidas pelo órgão municipal e encaminhadas para a casa de parentes. “Montamos outro abrigo, no Salão Paroquial do distrito, que por enquanto ainda não precisou ser acionado”, explicou.

Uma casa também teve desabamento parcial do telhado, no bairro Esperança, em decorrência da enxurrada. Segundo a prefeitura, os familiares foram direcionadas ao Centro de Múltiplo Uso, no bairro Esperança.

Nova Veneza
A Defesa Civil de Nova Veneza informou que 20 famílias estão isoladas no bairro Garuvinha. O trânsito no município também foi comprometido. No Caravaggio, a Avenida José Ronchi está interditada em ambos os sentidos, onde é registrado alagamento.

Já no bairro Bortoluzzi, as duas ruas que dão acesso à unidade de saúde, Alfredo Bortoluzzi e Oliveiros Nuernberg, estão interditadas.

O coordenador da Defesa Civil, Carlos Savi, alerta para as próximas horas. “Estamos monitorando os níveis dos rios, que estão bem elevados e até o meio-dia esperamos que a chuva diminua. Mas é importante que a pessoa que se sinta em situação de risco entre em contato com a gente e fique em um local seguro”, alertou.

Tubarão
Em Tubarão, houve o deslizamento de duas pedras, durante a noite, que atingiram parcialmente uma residência na rua Júlia Antunes da Silva, no Bairro Km-63. Segundo os bombeiros, as pedras atingiram um quarto da residência. Não houve feridos. Uma lona foi entregue para cobrir a área atingida. Também houve o registro da queda de uma árvore, de médio porte, na beira do Rio Tubarão.

Içara

A chuva forte levou à interdição de três vias municipais em Içara. Na Ponta do Mato, a ponte provisória da rodovia Mário Ghedin foi carregada junto com a estrutura de madeira da construção das cabeceiras da nova ponte.

No limite com Morro da Fumaça, também foi destruída a ponte provisória da rodovia Três Miguel. Já no Liri, a queda de uma barreira de pedra bloqueou a rua Pedro Claudino. No bairro Cristo Rei, também houve a queda de um muro que levou à retirada de uma família do local.

O município também registrou vários pontos de alagamento em bairros como Centro, Barracão, Rio dos Anjos e Tereza Cristina. Segundo a prefeitura, os rios estão com importante vazão de água, mas até o momento não houve transbordamento.

Jaguaruna
Em Jaguaruna, segundo o coordenador da Defesa Civil Municipal, Maicon Laureano, o momento mais crítico foi nessa terça-feira (9), quando houve chuva mais intensa, o que provocou algumas enxurradas na região de Morro Azul, Pontão e Sanga Grande.

Uma encosta no município também precisou ser instabilizada e três famílias ficaram desalojadas, totalizando de oito pessoas. As chuvas também causaram alagamentos no Centro de Jaguaruna. “Água entrou em residências e comércio local. Cerca de três horas depois conseguimos normalizar a situação”, informou Laureano.

Segundo ele, no momento, o município registra alagamentos pontuais em alguns cruzamentos na região do Camacho e Garopaba, e a Defesa Civil está monitorando o Rio Sangão que subiu 1,64 metros nas últimas 48 horas.

Ocorrências

Outros municípios do Sul catarinense também registraram pontos de alagamento e diversas ocorrências relacionadas às fortes chuvas e ventos.
Fonte: Santa Catarina em Fotos

Verifique também

DOIS JOVENS DE 17 ANOS MORREM APÓS SEREM ATROPELADOS POR ÔNIBUS E TEREM OS CORPOS ARRASTADOS PELO COLETIVO NO PARANÁ

Willian Lacerda e Carlos Eduardo Moura, ambos de 17 anos, acabaram morrendo em um trágico …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: